Qual o primeiro passo para resolver vazamentos e falhas na impermeabilização de piscinas? Comece pela inspeção técnica!

Ter uma piscina residencial é a realização do sonho de muitas pessoas, sinônimo de conforto e bem-estar. Além de proporcionar qualidade de vida ao alcance dos moradores, a área de lazer no condomínio agrega valorização ao imóvel.

No entanto, a piscina também possui um tempo de vida útil e requer cuidados para garantir a sua durabilidade. A falta de impermeabilização da piscina está diretamente ligada ao surgimento de danos, que abreviam a sua conservação e segurança.

Ao invés de buscar respostas mirabolantes para resolver os seus problemas, você como síndico ou responsável pela edificação, confira agora este artigo.

Qual a importância da impermeabilização de piscinas?

A estrutura da piscina precisa estar preparada para resistir ao grande volume de água. Não apenas o interior da piscina, mas também o espaço ao seu redor.

A impermeabilização tem a função de vedar ou selar a área que está constantemente em contato com a água ou sujeita às constantes lavagens e chuvas.

A falta de impermeabilização da piscina irá acarretar infiltrações, vazamentos, queda de revestimento, corrosão do concreto armado e consequentemente sérios danos à estrutura do imóvel. Principalmente se a piscina estiver ligada às outras áreas do prédio e localizada na laje, encima de garagens, subsolos, pontos comerciais.

Além dos prejuízos causados à segurança do edifício, os vazamentos e infiltrações também significam desperdício e um aumento na conta de água. Quanto mais for adiada a adequada impermeabilização, maior será o desgaste do prédio e aumento de custos nas reparações.

Lembre-se que assim como há diferentes tipos de piscinas, também existem diversos métodos de impermeabilização. Os reparos e manutenções para cada piscina devem ser analisadas de maneira individual, de acordo com suas características.

Veja na prática: laudo técnico de avaliação elaborado pela

Engenharia FW

Sim, ao ouvir falar em piscinas o que vem à sua mente é aquela bela paisagem, com raios solares tocando a superfície da água.

E você pode sim desfrutar ou proporcionar atividades recreativas na piscina do prédio. Porém, esteja com a inspeção técnica e manutenção em dia para que o lazer não se transforme em pesadelo.

Entretanto, não pense que a inspeção predial possa ser realizada por síndicos, pois isto é inadmissível. Podem avaliar as condições do prédio somente profissionais habilitados, que são engenheiros civis ou arquitetos, devidamente registrados no órgão de classe.

Somente após a inspeção técnica que as manutenções e reparos no prédio – incluindo na área da piscina – poderão ser realizadas. As inspeções periódicas visam manter a segurança, durabilidade e conforto da edificação.

A imagem da piscina a seguir está localizada em um terraço, apresentando à primeira vista, estar em boas condições.

Porém, a degradação que atinge o teto do imóvel localizado abaixo da área da piscina revela a existência de falhas no sistema de impermeabilização.

Área da piscina

A vistoria identificou manchas de infiltração nas lajes e vigas de concreto provocadas pela deficiência no sistema de impermeabilização da área externa e interna da piscina.

Isto mesmo: não basta impermeabilizar apenas dentro da piscina. As bordas da piscina, piso externo, banheiros, ralos e grelhas para captação de água pluvial também precisam de cuidado e reparos.

Por que estes defeitos foram causados? As falhas no rejuntamento dos azulejos e pisos, o fim da vida útil da manta asfáltica (revestimento impermeabilizante) e falhas no procedimento de impermeabilização foram as principais causas nesta situação específica.

Neste artigo você viu que a impermeabilização da piscina é extremamente importante para evitar a deterioração do edifício.

As infiltrações no imóvel não acontecem da noite para o dia. Porém, quanto mais for adiada a recuperação das estruturas da construção, mais áreas são afetadas e mais caro ficará o reparo.

Isto é, a falta de conservação prejudica não apenas a aparência e fachada do prédio, mas também as condições de segurança.

A manutenção na edificação – incluindo a área da piscina – é determinada em norma, seguem requisitos que devem ser observados de forma técnica e objetiva. Por isso é essencial a vistoria periódica de profissionais qualificados, para a identificação de falhas.

Lembrando que após a inspeção técnica será produzido o laudo, que é um documento com orientações e fotos. O laudo técnico pode ser registrado em cartório pelo síndico e ser utilizado como prova, caso seja necessário.

Ao documentar a manutenção do condomínio, os administradores do edifício estarão se resguardando em caso de possíveis questionamentos na esfera jurídica.

Muito interessante tudo isso, não é mesmo? Poupe o seu tempo e dinheiro. Hoje mesmo entre em contato com a Engenharia FW, especialista em inspeções técnicas e impermeabilização.

 

Menu